#karinaabudexplica

BLOG

Como virei, comecei e o que ando fazendo na consultoria de estilo

29 Aug 2017

Não era à toa que eu amava vender pipoca, refris e ingressos num cinema de Los Angeles: além de conhecer todas as celebridades da época (autógrafo do Brad tá aqui, gente!), eu realmente amava servir as pessoas.

 

Parece e é piegas, mas é verdade: hoje ainda sirvo pessoas! Entrego autoestima e autoconhecimento em forma de estilo próprio para os meus clientes :D

 

faz 4 anos que larguei o marketing para fazer o que acho que sou boa mesmo, rs, ser consultora de estilo pessoal: já atendi quase 100 mulheres e homens em SP e Brasil afora e empresas como o Women Leadership Network da Mastercard, Cia de Talento (DMRH), Casa Eurico, CabelariaLilla Ka e Seiva. Assinei o figurino da apresentadora Rita Lobo no programa Cozinha Prática (GNT), da atriz Juliana Schalch e da empreendedora e escritora Rafa Cappai (olha um dos lookzinhos dela aqui).  

 

Mas para fazer o que faço hoje, sou de uma época que precisava se formar em alguma carreira tradicional, então por exclusão (haha, quem nunca?) escolhi o curso de Publicidade e Propaganda na FAAP, e ralei muito na área do marketing. Eu amava moda e por isso trabalhei em marcas de roupa: Huis Clos, Maria Garcia, TNG... cuidava das campanhas de publicidade, parcerias e dos desfiles no SPFW e Fashion Rio. Antes disso, antes de saber que curtia tanto a moda, mais especificamente o ato de se vestir como poder de expressão, trabalhei no marketing da L'Occitane e na OceanAir (Avianca), meu primeiro emprego!

 

Incomodada com o que fazia, resolvi me lançar na pós graduação Criação de Imagem e Styling de Moda do Senac pra ver se eu me identificava com alguma coisa. Lá, na matéria de Personal Styling, conheci quem, quem, quem? A Cristina Zanetti e a Fernanda Resende da Oficina de Estilo! Me encantei pelo trabalho delas e guardei essa opção no coração, sim, só guardei! Porque ainda não me sentia preparada para trocar a estabilidade de um emprego por qualquer outra coisa... e quem sente, né? 

 

Foi só quando a empresa que eu trabalhava me deu um pé na bunda que comecei a pensar mesmo em ser consultora de estilo. Descobri o curso de formação da Oficina de Estilo e me joguei. A cada dia que chegava em casa depois da aula sentia que eu estava no caminho certo, uma sensação de alívio e conforto, sabe?

 

 

 

 

 

A avaliação final da formação me deu muita segurança para começar trabalhando porque a gente tinha que aplicar a consultoria em uma cliente voluntária com todo o suporte das prófis. Minha primeira cliente pagante, uma amiga, veio logo que divulguei no Facebook, em setembro de 2013, que agora minha profissão era outra e que funcionava assim, assim e assado. Olha a apresentação que fiz naquela época, antes mesmo de ter o site:

 

 

 

 

 

Tratei de começar um site (que ainda é o mesmo!) com minhas próprias mãozinhas e mais amigas foram chegando. Outras portas foram se abrindo porque me ofereci como assistente da Oficina de Estilo e super rolou! Ter isso no currículo era e é valiosíssimo. Fiquei com elas durante 3 anos, as acompanhando nas clientes e organizando os cursos (ouvi a formação umas 6 vezes, então tá tudo beeeeem enfiadinho no meu cérebro haha), além de, vish-maria-jesus-moisés, aprender muito da prática com elas

 

Acabei fazendo o figurino da Rita Lobo para o Cozinha Prática (vai lá ver rsrs, temporadas 3 e 4. Ah! Tá no meu instagram os looks, mas láaaa embaixo, vai ter que rolar bem. Olha uma foto da gente aqui). E foi uma ótima experiência para saber que produção de roupa não é minha praia. Muito leva e traz e perrengues que não me davam prazer no fim do dia, mesmo vendo minha roupinha na tv. Mas a experiência de qualquer coisa, vocês já sabem, é sempre riquíssimo para os próximos passos.

 

Outras oportunidades que iam me aparecendo eu ia agarrando pra entender o que tinha minha cara ou não. Necessidade mesmo de se autoconhecer como empreendedora. Dava medo de pegar umas coisas, mas eu pegava, porque sabia que no final tudo acabaria bem! E, se não acabasse bem, estaria ganhando mais bagagem. Foi nessas que atendi meu primeiro cliente homem, o Bruno, marido da Rafa Cappai, que me pagou com permuta em vídeo, esse mesmo que está no rodapé do meu site e no meu YouTube. Adoro esse vídeo até hoje. O trabalho foi super proveitoso pra ele e pra mim e descobri que consultoria masculina é muito legal! Tudo prático e objetivo, como eu.

 

E veja só, hein, tudo isso fiz no primeiro ano de profissão! Ainda nele fiz minha primeira palestra pra empresa... pros clientes da Casa Eurico (a dos sapatos grandes, sabe?) no dia da Mulher. Entendi que palestras e workshops é outra vertente do trabalho de consultoria de estilo que sou boa porque acredito ser eloquente, didática, carimática e claro, carregar conteúdo relevante, mas também que é sempre um grande desafio porque me esforço muito para encontrar meios que minha comunicação atinja de forma efetiva cada um dos ouvintes e que eles possam aproveitar a informação de verdade.

 

Outro nicho que encontrei dentro da consultoria de estilo foi atender outras consultoras de estilo! Já fui contratada por mais de 15 consultoras de estilo e vejo que quando precisamos olhar pra dentro de nós mesmos pra descobrir como é nosso estilo, somos todos farinhas do mesmo saco, hahaha, assim como os psicólogos que precisam de análise! Além disso, consultoras enriquecem muito seu trabalho sentindo na pele o que seus clientes sentem.

 

O segundo, terceiro e quarto ano vieram com meses de marés de clientes: às vezes vinha, às vezes não vinha. Nossa, no começo me sentia muito angustiada, achava que depois de tempos sem nenhuma contratação, nunca mais viria outra. Mas sempre vinha. Aprendi que parte foi pela crise no país que desestimulava a contratação de um serviço que não chega nem perto de ser uma necessidade básica. A outra parte ainda não sei, rsrs. Mas sim, tem também a ver com a visibilidade do meu trabalho. E pá! De repente, eu estava viajando para atender até em outros estados! Passei a conhecer, por exemplo, Novo Hamburgo, Aracaju e Rio Branco! Sim, o do Acre! E que prazer que é pra mim viajar a trabalho, adoro um aeroporto e um avião e uma mudada na rotina. Café da manhã de hotel... que delícia! 

 

Agora vamos falar da minha segunda e antiga profissão? Vamos. Quem me acompanha por aí já deve ter percebido que por aqui não basta ser consultora de estilo, tem que ser - continuar - marqueteira. Instagram e site e blog (oi!) e YouTube e FaceBook pra tudo quanto é lado é necessário pra divulgar meu trabalho, desmistificar a profissão, disseminar a moda inclusiva que acredito e, o que mais tento, levar mais leveza e diversão para o ato de se vestir e mais tolerância com quem somos e como aparentamos <3 (e viva minhas campanhas #freethecoxas e #freethepneus!). Se você é consultora ou está querendo ser uma e está lendo isso, não se apavore, você pode e deve escolher como se posicionar na internet e contratar alguma agência ou alguém que de repente conheça pra fazer isso pra você ;)

 

Hoje, além de clientes novos que ainda chegam mais por indicação, tenho uma carteira de clientes que já fez a consultoria completa e que me contrata para serviços pontuais. Isso tudo me permite ter uma vida confortável, mas sem muito luxos. De verdade, pra mim é suficiente, mas gostaria de sentir um pouco mais a estabilidade de antigamente. Aprendi a economizar meus ricos dinheirinhos, finalmente tenho uma previdência privada e empresa aberta (que alíviooo) e sei que, para ter essa profissão que me entrega propósito, terei que continuar sentindo esses frios na barriga. Escolhas da vida, né? :)

 

 

 

 

Compartilhe no seu Facebook
Please reload

Procurar por tags
RSS Feed

March 13, 2018

Please reload

Receba no seu feed de notícias!

Se você gosta de objetividade, leia aqui

  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
  • White Pinterest Icon
  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
ATENDIMENTO PRESENCIAL
EM SÃO PAULO
DEMAIS LOCALIDADES SOB CONSULTA
ATENDIMENTO ONLINE
SEGUNDA A SÁBADO, 7h ÀS 23h
OLA@KARINAABUD.COM
+5511 98199-8141